ORFANATO DA SENHORITA PEREGRINE PARA CRIANÇAS PECULIARES

Oi gente! Mais um vídeo lá no canal do blog para vocês e essa semana eu resolvi falar um pouco sobre o filme do momento: O Orfanato da Senhorita Peregrine para Crianças Peculiares. Não falei da adaptação em si, por que ainda não li o livro, mas comentei alguns aspectos que gostei e outros nem tanto. Espero que gostem!

Não esqueçam de dar um like no vídeo e se inscrever no canal, hein?

Beijos,

L.

• Facebook  Twitter  Instagram  Youtube  Pinterest  Tumblr 

Anúncios

OS FILMES FOFOS DA ZOE KAZAN

Oi gente! Mais um vídeo lá no canal do blog e dessa vez fiz uma lista com alguns filmes de uma atriz muito fofa, a Zoe Kazan. A minha ideia é fazer um vídeo com filmes de algum ator ou atriz que faça aniversário no mês, nesse caso, o aniversário da Zoe foi dia 9 de setembro. Espero que gostem da ideia e do vídeo!

Não esqueçam de dar um like no vídeo e se inscrever no canal!

Beijos,

L.

• Facebook  Twitter  Instagram  Youtube  Pinterest  Tumblr 

COMO EU ERA ANTES DE ASSISTIR AO FILME

Oi gente! No post de hoje vou falar sobre a adaptação do livro, Como Eu Era Antes de Vocês, da Jojo Moyes, que chegou aos cinemas do Brasil no dia 16 de junho. O filme traz nos papéis principais Emilia Clarke (Game of Thrones) e Sam Claflin (Jogos Vorazes). Acho que pela primeira vez eu fiquei completamente satisfeita com a escolha dos atores, até assistir ao filme. Vou entrar mais em detalhes logo.

303307

Antes de falar sobre a adaptação em si, vou deixar aqui a sinopse oficial do livro, para aqueles que não conhecem nada da história.

Aos 26 anos, Louisa Clark não tem muitas ambições. Ela mora com os pais, a irmã mãe solteira, o sobrinho pequeno e um avô que precisa de cuidados constantes desde que sofreu um derrame. Trabalha como garçonete num café, um emprego que não paga muito, mas ajuda nas despesas, e namora Patrick, um triatleta que não parece interessado nela. Não que ela se importe.
Quando o café fecha as portas, Lou é obrigada a procurar outro emprego. Sem muitas qualificações, consegue trabalho como cuidadora de um tetraplégico. Will Traynor, de 35 anos, é inteligente, rico e mal-humorado. Preso a uma cadeira de rodas depois de um acidente de moto, o antes ativo e esportivo Will desconta toda a sua amargura em quem estiver por perto. Tudo parece pequeno e sem graça para ele, que sabe exatamente como dar um fim a esse sentimento. O que Will não sabe é que Lou está prestes a trazer cor a sua vida. E nenhum dos dois desconfia de que irá mudar para sempre a história um do outro.

Agora que vocês já sabem um pouco mais da história, vamos a algumas opiniões. Antes de tudo, eu preciso falar o quanto AMEI a trilha sonora. Combinou perfeitamente com a trama e todas as músicas estavam em sintonia com as cenas em que foram colocadas. Então só aí já dou vários pontos positivos para o longa.

Falando da adaptação em si, logo que o filme começou já fiquei mais tranquila quando vi que quem havia escrito o roteiro tinha sido a própria Jojo Moyes, autora do livro. E realmente, achei bem fiel ao livro. Óbvio que foram feitas algumas mudanças, mas como sempre falo aqui no blog, livro e cinema são duas mídias completamente diferentes e ninguém nunca vai conseguir superar o filme que criamos em nossa cabeça ao lermos um livro.

Normalmente, fico muito chateada com a escolha dos atores quando gosto muito do livro, mas dessa vez, não fiquei nem um pouco decepcionada. Já conhecia o trabalho de vários deles, mas principalmente dos protagonistas, então tinha confiança de que seria bom. E foi. Na verdade, o Sam Claflin (Will Traynor) realmente arrasou na atuação e foi extremamente convincente no papel de um tetraplégico, além de ter conseguido passar a personalidade e essência do Will para as telonas sem dificuldade nenhuma.

Já a Emilia Clarke (Louisa Clark) estava muito característica, ou seja, os momentos que ela precisava passar o humor da Louisa foram muito bons e convincentes, mas os momentos tristes e dramáticos, ela deixou a desejar. Parece que ela ficou presa naquela personalidade engraçada da Louisa e não conseguiu mais se libertar. Sem contar também que as sobrancelhas dela estavam extremamente expressivas durante todo o filme, o que me incomodou um pouco e tirou a minha concentração do drama em si.

Por mais que tenha observado isso, o filme foi bom. Muito bom. A história é boa, o livro é bom, os atores são bons, a trilha sonora é boa, ou seja, tudo combinado resultou em um ótimo filme. E sim, muitas lágrimas rolaram pelo meu rosto durante, depois e até hoje, enquanto escrevo esse texto. É impossível não se apaixonar pela história de amor dos dois e sofrer com as decisões tomadas por eles.

Então, se apaixonem também pela história dos dois e depois, precisando de um ombro amigo, é só chamar. Eu entendo. Espero que tenham gostado e vou deixar o trailer aqui embaixo para quem quiser dar uma conferida.

Beijos,

L.

Facebook ♡ Twitter ♡ Instagram ♡ Youtube ♡ Pinterest ♡ Tumblr

SPOTLIGHT

Oi, gente! Hoje vim falar de um filme que tive o privilégio de assistir em novembro do ano passado por cause de aula que tive lá na Colorado College. De início não dei muito crédito para o filme, mas quando comecei a ler as matérias que os jornalistas do Boston Globe escreveram sobre o caso retratado no longa e assisti ao trailer, soube que seria algo magnífico.

Spotlight

Confere aí a sinopse oficial:

Baseado em uma história real, o drama mostra um grupo de jornalistas em Boston que reúne milhares de documentos capazes de provar diversos casos de abuso de crianças, causados por padres católicos. Durante anos, líderes religiosos ocultaram o caso transferindo os padres de região, ao invés de puni-los pelo caso.

Contando com um elenco de matar, como Mark Ruffalo, Michael Keaton, Rachel McAdams, John Slattery, Stanley Tucci, Brian d’Arcy James e Liev Schreiber, só para começar, o filme traz a frustração e a emoção que os jornalistas do Boston Globe sentiram durante sua longa investigação.

Muitos falaram, inclusive a minha professora, que esse filme seria o próximo Todos os Homens do Presidente e eu não poderia concordar mais. O Spotlight Team, responsável pelo jornalismo investigativo dentro do Boston Globe, passou meses e meses investigando a igreja católica e lutando contra os sentimentos de repulsa e indignação até que tivessem a história completa para compartilhar com o público.

Foram mais de 600 matérias publicadas por eles, e graças ao seu trabalho, denúncias sobre o abuso de crianças foram feitas no mundo inteiro. Posso dizer que eles salvaram muitas crianças e deram, pelo menos, um pouco de conforto às vítimas de abuso.

spotlight-movie-poster2C1-e1452564112802

Eu, como estudante de jornalismo, acredito que esse sim é o trabalho de um jornalista. Procurar os fatos e checá-los para poder mostrar a verdade, por mais dolorosa que ela seja. É saber não se precipitar em algo e esperar pelo momento certo onde uma instituição tão grande como a igreja católica não possa mais arranjar desculpas pelo que encobria.

Se vocês ainda não viram o filme, por favor, vejam. Você pode conferir o trailer aqui embaixo.

Se você clicar na foto abaixo vai poder conferir um artigo do Boston Globe falando sobre os reais jornalistas e os artistas que os interpretaram no filme, vale a pena conferir. OBS: Spotlight acabou de ganhar dois Oscars das suas seis indicação à predição: Melhor Filme e Melhor Roteiro. Até o próximo post!

1200_spotlight_in_toronto[1]-4107

Beijos,

L.

• Facebook  Twitter  Instagram  Youtube  Pinterest  Tumblr 

QUE GRANDES OLHOS VOCÊ TEM

Oi, gente! Recentemente assisti novamente a um filme que tinha esquecido o quanto gostava e então resolvi fazer uma indicação aqui no blog para vocês. Muitos já devem conhecer Grandes Olhos, mas se você não conhece, aqui está a oportunidade perfeita para saber um pouco mais sobre o filme.

217143.jpg-r_640_600-b_1_D6D6D6-f_jpg-q_x-xxyxx

Baseado na história real da artista americana Margaret Keane, interpretada por Amy Adams e dirigido por Tim Burton, o longa foi lançado em 2014 e recebeu três indicações ao Golden Globe Awards. Confere aí a sinopse oficial.

O drama apresenta a história real da pintora Margaret Keane (Amy Adams), uma das artistas mais comercialmente rentáveis dos anos 1950 graças aos seus retratos de crianças com olhos grandes e assustadores. Defensora das causas feministas, ela teve que lutar contra o próprio marido no tribunal, já que o também pintor Walter Keane (Christoph Waltz) afirmava ser o verdadeiro autor de suas obras.

Com um tom de drama, mas o mesmo tempo, comédia, o longa é uma ótima pedida para uma tarde de domingo. Amy Adams e Christoph Waltz trazem perfomances mais que convincentes e te fazem torcer por Margaret e odiar/amar Walter.

Além de apresentar para muitos uma artista tão talentosa como Margaret Keane, que tem como sua marca registrada os grandes olhos em suas pinturas, como deu para notar pelo nome do filme. Vou deixar o trailer aqui embaixo para vocês verem com seus próprios.

Eu sei que já faz quase dois anos que o filme foi lançado, mas mesmo assim achei interessante comentar sobre esse longa que conta uma história real de muita dedicação. Margaret é uma inspiração para muitos, com certeza.

Uma das indicações ao Golden Globe Awards foi pela música original Big Eyes, de Lana Del Rey, então confere aí também.

Até o próximo post!

Beijos,

L.

• Facebook  Twitter  Instagram  Youtube  Pinterest  Tumblr 

5 RAZÕES PARA ASSISTIR ANJOS DA NOITE

Aloha! Essa semana decidi falar sobre uma saga de filmes que, para mim, é a melhor sobre vampiros e lobisomens: Anjos da Noite. A história trata basicamente sobre essa guerra entre os dois grupos, retratadas em vários outros filmes e livros. A protagonista, Selene, é uma vampira, e busca por vingança pelo massacre de toda sua família (humana) pelos lycans (lobisomens). Enquanto investiga seus inimigos, descobre que eles estão atrás de um médico humano, Michael Corvin, para fazer experimentos, já que ele supostamente seria um descendente do homem que deu origem aos vampiros e lycans. A saga conta com quatro filmes, mas tem previsão de lançamento do quinto ainda esse ano. Enquanto não estreia, dá uma olhada nas cinco razões e já começa a assistir que tem tempo!

1. Tem terror mas tem também muita ação.

Tem gente que não gosta muito de filme de terror, mas mesmo que Underworld inclua esse gênero, devido a própria temática, o que mais encontramos mesmo é ação. A não ser que você tenha medo desses bichos (eu, por exemplo, tenho muito medo de lobisomem), a parte do terror fica mais para a quantidade de cenas com muito sangue. Tem luta o tempo todo nos filmes, o que faz com que você mal tenha tempo de respirar, mas que também passe a amar a protagonista.

2. Selene (Kate Beckinsale).

Se tem algo que adoro em filmes ou seriados é quando tem uma personagem feminina em destaque. Já viram isso no post sobre The 100, e vão continuar vendo com frequência. Selene (sem sobrenome mesmo) é a melhor personagem da saga. É definitivamente a vampira que toda garota gostaria de ser (se isso fosse possível). Ela luta e mata sem piedade, nenhum lobisomem ou mesmo outro vampiro é páreo para ela. Nessa época em que o feminismo está em alta, uma personagem desse tipo agrega valor a produção, já que pode atrair não só o público masculino pela ação, mas também o feminino.

3. Melhores efeitos especiais.

Apesar de ter medo, sou fã de filmes que falam sobre lobisomens. Cada um apresenta o animal de uma forma diferente, alguns são ótimos, como no filme “Van Helsing”, outros bem estranhos, como o professor Lupin, de Harry Potter. Mas a minha forma favorita é a dos lobisomens de Anjos da Noite. Os efeitos especiais dos filmes não só acertam na figura dos lycans, mas também (e principalmente) nas cenas de lutas, já citadas. Imagino que deve ser difícil gravar esse tipo de cena, mesmo que só entre humanos, agora gravar uma luta entre bestas exige muito mais, já que não é apenas a luta, é necessário envolver as características de combate das personagens, sejam lycans ou vampiros.

4. Tem “drama mexicano” também.

Se a história é sobre uma guerra entre dois grupos diferentes, é óbvio que vai ter um amor proibido no meio. Mas esse caso é contado apenas no terceiro filme, onde tem uma volta no tempo para explicar o início desse conflito. Antes, os lycans eram como escravos dos vampiros, mas uma certa execução acabou gerando revolta (não quero contar nenhum spoiler). É devido a isso que o drama tá perdoado, já que foi uma boa justificativa para a guerra, e acaba explicando também um pouco do porquê de Selene ter virado vampira, mesmo que essa parte do filme se passa anos antes dela nascer.

5. Origem de vampiros e lobisomens.

Algo que eu sinto muita falta em filmes com essa temática é a história desses dois tipos de monstros. Em Anjos da Noite, a origem está relacionada a um humano imortal, que teve três filhos, mas apenas dois herdaram sua imortalidade. Desses dois, um foi mordido por um lobo e outro por um morcego, que acabaram sofrendo uma mutação genética e dando origem a lobisomens e vampiros. Não sei se está relacionado com as lendas originais, mas é um mito bem convincente, que diferencia a saga de muitos filmes por aí.

Confiram o trailer e me contem de qual lado estão: vampiros ou lycans?

Até a próxima!

Leticya B.

LIMITLESS

Oi, gente! Mais um post Série da Semana no ar e dessa vez é para falar de uma série que estreou no ano passado, mas que só chamou a minha atenção esse ano, e mesmo assim por que alguns amigos me falaram sobre ela. Limitless foi criada a partir do filme de mesmo nome, que foi lançado em 2011 com Bradley Cooper no papel principal.

589289.jpg-b_1_D6D6D6-f_jpg-q_x-xxyxx

E se você gostou tanto do filme e do Bradley quanto eu, não vai ficar decepcionada, pois ele faz várias aparições na série. Até por que ele é super importante para a trama e muito mais. Vamos conferir a sinopse?

Baseada no longa-metragem, a série é um drama sobre Brian Finch (Jake McDorman), que descobre os efeitos que a misteriosa droga NZT provoca no cérebro. Ele é coagido pelo FBI a usar suas extraordinárias habilidades cognitivas para resolver complexos casos para ele. Trabalhando diretamente com Brian no maior esquadrão de Nova York está a Agente Especial Rebecca Harris (Jennifer Carpenter), uma formidável investigadora com um passado obscuro, e o Agente Boyle (Hill Harper), ex-militar e confidente de Rebecca. Eles respondem diretamente para a Agente Especial no Comando, Nasreen “Naz” Pouran (Mary Elizabeth Mastrantonio), manipuladora nas redes do poder. Sem o conhecimento do FBI, Brian também tem uma relação clandestina com o Senador Edward Morra (Bradley Cooper), aspirante ao cargo presidencial, e usuário constante do NZT. O Senador tem seus próprios planos para o seu protegido. Com um suprimento fixo do NZT, Brian consegue acessar 100% das capacidades do seu cérebro, e é mais funcional que todos os agentes do FBI juntos. Isso o transforma no maior pesadelo dos criminosos, e na maior arma que a Agência já teve.

A série estreou em Setembro de 2015 e em outubro, a CBS já tinha encomendado a primeira temporada completa com 22 lindos episódios. Ainda não sabemos se uma segunda temporada está por vir, mas baseado no sucesso da série, podemos esperar que sim. Enquanto isso, é só torcer mesmo.

limitless-1a-temporada-poster-02-side

Com aquele drama de uma série policial que conquista qualquer admirador desse tipo de televisão, mas também a leveza do personagem principal, Brian, a série é a mistura perfeita entre seriedade e diversão.

É a série perfeita se você gosta desse tipo de trama, mas ao mesmo tempo não quer algo pesado que possa te deixar para baixo com temas que às vezes podem ser demais para nós. A série atualmente está em hiato, o que me deixa com muita raiva, mas para a minha felicidade e de todos os outros fãs, volta nessa quarta-feira, dia 10.

limitless0708151280-1436461712503_1280w

Ou seja, se você se interessou e quiser começar a assistir, não vai ter que esperar semanas, como eu, para a série voltar. Então, mais um ponto extra. Eu vou deixar aqui embaixo o trailer do filme e da série para que possam conferir com os próprios olhos as produções.

Beijos,

L.

• Facebook  Twitter  Instagram  Youtube  Pinterest  Tumblr 

I ORIGINS

Oi, gente! No post de hoje eu vou falar de um filme que assisti há algum tempo já, mas revi umas duas vezes nos últimos meses e achei que valia a pena contar um pouco para vocês. I Origins, ou com o título em português, O Universo no Olhar é tudo, menos um filme convencional.

I_Origins_poster

Eu admito que demorei muito tempo para assistir o filme por que a sinopse não me interessou nem um pouco, só comecei a ver mesmo por que tinha uma atriz de quem eu gostava num dos papéis principais. Sendo assim, não tinha nenhuma expectativa para o longa.

E foi aí que fui totalmente surpreendida. Vou colocar aqui a sinopse oficial para vocês antes de falar o meu parecer.

A obra descreve os estudos do Dr. Ian Gray (Michael Pitt), um especialista em biometria por íris ocular, e sua tentativa de comprovação da hipótese de que o olho humano tenha evoluído sem a necessidade de um Designer Inteligente. Para isso, tem a ajuda de Karen (Brit Marling), sua estagiária e de Kenny (Steven Yeun), seu colega de trabalho. Mas Ian vê suas convicções abaladas quando se apaixona por Sofi (Astrid Bergès-Frisbey) e a partir dessa paixão avassaladora, é conduzido à investigações acerca dos mistérios metafísicos que o olho humano pode proporcionar.

Meio desanimador, não é mesmo? Mas depois que assisti o filme entendi por que a sinopse não podia falar muito, afinal de contas, o filme é cheio de reviravoltas, que se fossem descobertas já na sinopse estragariam toda a trama do filme.

i-origins02

Podem acreditar em mim quando eu digo que é um filme extraordinário e diferente de tudo o que eu já vi. Mesmo com essa temática científica, ainda há a presença do romance e de fortes crenças. É muito interessante ver o personagem principal entrar em conflito com o que acredita e com aquilo que está bem à sua frente. É bem surpreendente e emocionante.

Se você se interessou de alguma forma por esse longa não-convencional, vou deixar aqui embaixo o trailer do filme para vocês. Espero que assistam e gostem tanto quanto eu gostei. Até o próximo post!

Beijos,

L.

• Facebook  Twitter  Instagram  Youtube  Pinterest  Tumblr 

COMO SERIAM OS FILMES DA DISNEY SE TIVESSEM SIDO DIRIGIDOS PELO TIM BURTON

Um ilustrador de Los Angeles, Califórnia chamado Andrew Tarusov reimaginou 10 clássicos da Disney como se eles fossem filmes dirigidos pelo Tim Burton. Como a maioria já sabe, Burton é conhecido pelo seu estilo artístico escuro e lindo, tendo muitos personagens com olhos grandes, figuras esqueléticas, expressões de terror, é isso e muito mais que o torna único.

1. 101 Dálmatas

1454026776-943906-1654358041504348-6784204158886721608-n

2. A Pequena Sereia

1454027159-12647354-1654358101504342-2154722031930080111-n

3. A Bela e a Fera

1454027210-12651029-1654358061504346-6429754473883534000-n

4. Pinóquio

1454027434-12654110-1654358114837674-5884878710788532853-n

5. O Rei Leão

1454027002-12552858-1654358094837676-8042014548355502672-n

6. Aladdin

1454026966-12417620-1654358038171015-9111104433209088235-n

7. A Bela Adormecida

1454027049-12573010-1654358131504339-7330950142195626687-n

8. Dumbo

1454027106-12573170-1654358064837679-5248977610543704985-n

9. Branca de Neve
1454027396-12651353-1654358138171005-3917810320096944408-n

10. Bambi

gallery-1454026873-1397082-1654358054837680-4274358534008976558-o

Beijos,

L.

• Facebook  Twitter  Instagram  Youtube  Pinterest  Tumblr 

O QUE ROLOU COM A ADAPTAÇÃO DE A 5ª ONDA?

Oi, gente! Todo mundo sabe que quando se trata de adaptações de livros para filmes ou séries de televisão sempre encontraremos discórdias entre o público. Adaptar um livro é uma tarefa muito difícil e como filmes ou séries de televisão são mídias muito diferentes, é claro que haverão mudanças. Algumas boas e outras ruins, algumas grandes e outras pequenas. O importante é sempre manter a cabeça aberta.

the-5th-wave-dom-5WV_DGTL_MKT_2_rgb1

Nessa semana eu vou falar de um livro que li no ano passado, pouco depois de ser anunciado o lançamento do filme e que estreou aqui no Brasil no dia 21 de Janeiro. A 5ª Onda foi escrito por Rick Yancey, e acompanha a luta de uma adolescente, Cassie, depois que mundo sofre diversos ataques alienígenas, conhecidos como As Ondas.  No último domingo eu tive a oportunidade de assistir à adaptação no cinema. E antes de mais nada quero deixar claro que isso aqui é a minha opinião, se a sua não é a mesma, ótimo!

Diferentemente do livro, o filme acabou sendo mais previsível do que eu gostaria. E também contou com uma atuação um pouco forçada. Por mais que eu tenha aplaudido a escolha do elenco, que pela primeira vez tinha a mesma ou muito próxima idade dos personagens, como Chloë Grace Moretz (Cassie Sullivan) e Nick Robinson (Ben Parish), eles deixaram a desejar.

22974698410_a430f834c0_o

Em questão de adaptação, eles fizeram um ótimo trabalho. Tirando alguns detalhes e a rapidez com que filme se desenrolou, no geral, houve fieldade ao livro. O que muitas vezes não é comum em adaptações. Por isso, parabéns.

Os efeitos especiais também foram de ótima qualidade, fazendo com que tudo fosse bem realista, exceto as cenas de luta. Fica difícil acreditar que crianças (literalmente) e a própria Cassie tenham adquirido a habilidade de lutar em tão pouco tempo. Isso pode acontecer pelo fato de tudo ter acontecido tão rápido. Além disso, as coreografias das lutas não foram muito convincentes.

Por mais que esse seja o meu parecer sobre a adaptação, o público brasileiro parece não concordar. Em apenas poucos dias, o longa já chegou ao topo da lista de filmes mais assistidos no país, com uma bilheteria de 6,7 milhões de reais, ultrapassando todos os concorrentes. E vale lembrar também, que como o livro, o filme tem como objetivo atingir ao público jovem, ou seja, talvez tudo isso que eu comentei aqui não tenha importância.

Com certeza essa não foi a minha adaptação preferida, mas como eu ainda tenho muito interesse na história, gostaria bastante que houvesse uma continuação. Do mesmo jeito que a série Divergente não foi assim tão boa no começo, com o tempo, só teve a melhorar. Agora é torcer para que o segundo livro da série, O Mar Infinito, também seja adaptado para a telona.

O livro é da editora Fundamento e está disponível para compra no site da Saraiva e lá você também encontra o segundo volume da série, O Mar Infinito. Não deixem de ver o filme e tirar as suas próprias conclusões. Eu vou deixar aqui embaixo o trailer para vocês assistirem e espero que gostem. Até o próximo post!

Beijos,

L.

• Facebook  Twitter  Instagram  Youtube  Pinterest  Tumblr